ESAEducationHomeMeteorologia e ClimaMudança GlobalDesastres Naturais
   
Mudança costeira
Delta do DanúbioDerrames de Petróleo
Desflorestação
Parque Nacional de BardiaBacia do Rio CongoKameng-SonitpurKilimanjaroRondóniaShillong e Guwahati
Ice
Análise de glaciares utilizando imagens de radarExpedição à AntárctidaAlterações climáticas e glaciaresRecuo dos glaciares nos AlpesFluxo de gelo glaciarMonitorização de glaciares nos HimalaiasDeteção remota de gelo e neve
Urbanização
CairoCatmanduCórdobaHimalaiasVale de CatmanduLagos
Vegetação
Área de Conservação de AnnapurnaPerdidos nos Andes!Área de Conservação de NgorongoroDelta Interior do NígerVegetação da América do Sul
 
 
 
 
 
printer friendly page
Informaçãoes de base
 
Convergência Oceano-Continente
 
Os Andes Centrais definem-se como a área entre 27º Sul, na extremidade sul da Puna (o elevado planalto andino) e 39º Sul no Lago Aluminé, entre as longitudes 69º e 71º Oeste. Estes formam uma faixa alongada de relevo montanhoso. A região inclui o ponto mais elevado das Américas, Aconcágua, com 6959 m acima do nível do mar.
 
A origem destas montanhas pode ser explicada utilizando a teoria das placas tectónicas. A Crosta Oceânica submerge e provoca movimento (dobras, vulcões, sismos) na Crosta Continental. Nesta região, os sismos são frequentes. No dia 27 de fevereiro de 2010, ocorreu um sismo de magnitude 8.8 na Escala de Richter na costa da região Central do Chile.

O movimento da Crosta Continental cria um perfil assimétrico que, por sua vez, provoca um declive ocidental abrupto e um ligeiro declive oriental, formando uma cadeia montanhosa contínua. Atua como uma área de drenagem e define a fronteira entre a Argentina e o Chile.  
 

Profile between Muelle Llico (Chile) and Malargue (Argentina)
Perfil entre Muelle Llico (Chile), 34°45’16”S 72°05’03”O e Malargue (Argentina), 35°30’S 69°35’O
 
Esta cadeia montanhosa representa uma barreira que força a elevação dos ventos de oeste. No lado ocidental da cadeia (Chile) existe uma copiosa precipitação orográfica que alimenta rios, campos de gelo e glaciares. No lado argentino dos Andes, a este da cadeia montanhosa, os ventos são secos, consequência da precipitação ocorrida no lado oposto. À medida que estes ventos descem a montanha, criam um baixo nível de humidade que resulta em áreas desérticas.
 
 
 


Perdidos nos Andes!
Perdidos nos Andes!Introdução
Exercícios
Exercício 1: Região dos AndesExercício 2: Cobertura de vegetação (NDVI) (para alunos do ensino superior)Exercício 3: Cenário geográfico do acidenteExercício 4: O trajeto de volta à civilizaçãoExercício 5: Expedição "Alive! "Exercício 6: Oficina de trabalho multidisciplinar
Eduspace - Software
LEOWorks 3LEOWorks 4 (MacOS)LEOWorks 4 (Windows)LEOWorks 4 (Linux)
Eduspace - Download
Lost_in_the_Andes.zip
More on the Andes tragedy
Wikipedia summary
 
 
 
   Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.