A Agência Espacial Europeia e o Google Earth colocam em vitrina o nosso planeta

ESA images in Google Earth
16 Novembro 2006

Já alguma vez quis saber como são as erupções vulcânicas, as tempestades de areia e as alterações nos glaciares de gelo vistas do espaço? A Agência Espacial Europeia (ESA) criou um conteúdo especial que aparecerá no Google Earth e permitirá observar mais de 130 novas imagens de satélite da ESA, incluindo fenómenos naturais e monumentos construídos pelo homem.

Pode aceder-se facilmente a estas novas imagens clicando na caixa de verificação ‘Featured Content’ na barra lateral do Google Earth e clicando, em seguida, no ícone ESA.

É possível fazer uma viagem à volta do mundo, explorando imagens pormenorizadas de espantosos locais de referência e descobrir alterações importantes no ambiente. Informações úteis, balões com factos e números, explicações e teorias científicas aparecerão por baixo das imagens.

John Hanke, director do Google Earth, afirmou: "Estamos muito satisfeitos que a Agência Espacial Europeia utilize o Google Earth para colocar à disposição do público imagens de uma tal qualidade, e tão ricas em informações fascinantes acerca do nosso planeta. Trata-se de mais um passo importante no sentido de ajudar as pessoas de todo o mundo a compreenderem melhor o seu ambiente.”

O Director dos Programas de Observação da Terra da ESA, Dr. Volker Liebig, afirmou: “A integração das imagens da ESA no Google Earth proporciona uma excelente oportunidade para criar consciência pública e interesse pelas tecnologias espaciais, e em particular pelas que estão relacionadas com a observação da Terra e a protecção do meio ambiente. As imagens foram especialmente escolhidas para permitir aos utilizadores do Google Earth a possibilidade de percorrer o planeta a partir do céu e de obter uma perspectiva e apreciação diferentes do seu planeta, testemunhando o seu esplendor, bem como os seus pontos mais vulneráveis.”

As imagens da colecção foram obtidas pelo satélite Envisat da ESA – o maior satélite ambiental jamais construído – e pelos satélites ERS e Proba. O satélite Envisat da ESA, lançado em 2002, recolhe dados utilizando três sensores de imagem: o Radar de Abertura Sintética Avançado (ASAR), o Espectrómetro de Imagem de Média Resolução (MERIS) e o Radiómetro de Rastreio de Trajectórias Avançado (AATSR).

O instrumento ASAR usa o radar para mapear a terreno, detectar o perfil das ondas e do gelo, monitorizar o aproveitamento do solo e os tipos de vegetação e medir algumas das propriedades da superfície. O MERIS recolhe imagens da superfície do planeta e das nuvens durante o dia, capturando a luz visível e alguma da parte de infravermelhos do espectro. O sensor AATSR rastreia as superfícies dos solos e dos oceanos para medir a temperatura do mar, detectar "pontos quentes" dos incêndios florestais e efectuar mapas da extensão de vegetação em diferentes regiões.

Os dados recolhidos por estes sensores desempenham um papel vital para ajudar cientistas, governos e outros responsáveis a compreender as causas e consequências das alterações ambientais globais – incluindo a detecção de fenómenos El Nino, a explicação dos mistérios do aquecimento global, o rastreio da desflorestação e poluição globais e a obtenção de conhecimentos cruciais sobre a subida do nível dos oceanos.

A opção ‘Featured Content’ do Google Earth foi lançada em Setembro e proporciona uma oportunidade para os fornecedores de conteúdos como a ESA de apresentarem conteúdos como locais de referência famosos e informações científicas. Outros fornecedores de conteúdos da opção ‘Featured Content’ incluem:

  • United Nations Environmental Program(UNEP- Programa Ambiental das Nações Unidas) – A contribuição que o UNEP propõe no Google Earth inclui uma sucessão de imagens de satélite fotografadas ao longo do tempo que mostram 100 áreas de extrema degradação ambiental em todo o mundo. Desde a desflorestação da Amazónia até à deflagração de violentos incêndios nas florestas da África Sub-Sariana, passando pelo declínio do Mar de Aral na Ásia Central, estas imagens do antes e depois que abrangem os últimos 30 anos oferecem aos utilizadores um recurso on-line para conhecerem as zonas de crise ambiental em todo o mundo.
  • Discovery Networks World Tour – A contribuição do Discovery permite tanto aos amantes de viagens como aos turistas de sofá a oportunidade de visitarem virtualmente as principais atracções mundiais, cidades e maravilhas da natureza através do Google Earth. Com segmentos de vídeos produzidos pelo Discovery disponibilizados em streaming, os utilizadores podem aprender a história e o significado de vários locais de referência a nível mundial, parques nacionais, cidades americanas e europeias e locais em África. Estes recursos multimédia apresentam aos utilizadores as maravilhas do túmulo do rei Tut no Vale dos Reis ou a história do portão do templo de Itsukushima no Japão.

  • Jane Goodall Institute – Com a contribuição do Instituto Jane Goodall, os utilizadores podem visitar Fifi e os outros chimpanzés Gombe mantidos em cativeiro e seguir as suas proezas diárias com o "geo-blog" do Instituto no Google Earth. Actualizado diariamente, este geo-blog mostra o trabalho do Instituto Jane Goodall, ilustrando a investigação do Instituto acerca dos chimpanzés e os efeitos da desflorestação em África.
Copyright 2000 - 2015 © European Space Agency. All rights reserved.