A Arianespace passa a estar responsável pelo lançamento do Soyuz, na Guiana Francesa

ESA passa o complexo de lançamento do Soyuz à Arianespace
16 Maio 2011

Na semana passada, a ESA entregou oficialmente o complexo de lançamento do Soyuz, no Porto Espacial Europeu, à Arianespace, responsável pelas operações. Tinha ficado provado que a estrutura estava preparada para o primeiro lançamento durante o ensaio geral realizado uns dias antes.

A agência espacial francesa, CNES, contratante principal da construção, passou os últimos meses a certificar o complexo, juntamente com os seus parceiros europeus e russos.

Em Março, o ‘exame de aceitação’ demonstrou que as instalações estão prontas para acolher o primeiro lançamento de um veículo Soyuz, a partir da Guiana Francesa. Durante esta inspecção, o CNES entregou o complexo à ESA. E por sua vez, a Agência Espacial Europeia, responsável pelo projecto, entregou as instalações à Arianespace, no passado dia 31 de Março.

A Arianespace é agora a responsável pela infra-estrutura e operações do Complexo de Lançamento do Soyuz (ELS, na sigla em francês) no Porto Espacial Europeu. A empresa francesa simulou uma campanha de lançamento completa entre os dias 29 de Abril e 5 de Maio.

Este ensaio ‘a seco’ permitiu comprovar que as novas instalações estão preparadas para receber o lançador e treinar os técnicos num ambiente realista. Esta simulação também serviu para validar todos os procedimentos que se devem levar a cabo durante os cinco dias que dura a fase final da campanha de lançamento.

A cerimónia de passagem do complexo contou com a participação de Jean-Jacques Dordain, Director Geral da ESA, Jean-Yves Le Gall, Presidente da Arianespace, Yannick d’Escatha, Presidente do CNES e Vladimir Popovkin, Director da Roscosmos. Depois dos devidos discursos, Dordain entregou as ‘chaves’ do complexo a Le Gall.

Pedra e placa comemorativas

Para celebrar a ocasião, e também o recente aniversário 50º aniversário do primeiro voo espacial tripulado, destapou-se um monumento composto por uma placa comemorativa e uma pedra da plataforma de lançamento do Soyuz em Baikonur, a mesma de onde descolou Yuri Gagarin, em 1961.

Esta pedra simboliza a continuidade entre o complexo de lançamento do Cazaquistão, símbolo máximo da era espacial, onde o Sputnik e Gagarin deixaram o nome para a história, e as instalações no Porto Espacial Europeu, que receberão pela primeira vez o lançamento de um Soyuz a partir da Guiana Francesa.

O Soyuz no CSG

O programa da ESA ‘Soyuz no CSG’ (acrónimo francês do Centro Espacial da Guiana) conta com a participação de sete Estados Membros da Agência.

A decisão de construir a infra-estrutura que permitisse operar o lançador russo Soyuz a partir da Guiana Francesa foi recebida com grande entusiasmo, quer pela Europa como pela Rússia. Do ponto de vista europeu, este projecto permite estabelecer uma colaboração mais estreita com a Rússia, uma vez que reduz o custo do desenvolvimento e produção de novos sistemas de lançamento e abre as portas a futuras colaborações comerciais.

O Soyuz no local de lançamento

A construção do complexo de lançamento do Soyuz começou oficialmente em Fevereiro de 2007, se bem que as obras de escavação e a construção da infra-estrutura associada já tinham começado em 2005 e 2006, respectivamente.

Os técnicos russos chegaram ao Porto Espacial Europeu em meados de 2008 para construir a plataforma de lançamento, montar a torre de serviço móvel e preparar as condutas de combustível e os bancos de teste do complexo.

Os dois primeiros Soyuz chegaram por mar desde a Rússia em Novembro de 2009 e já foram montados no interior do novo Edifício de Preparação e Integração.

O complexo de lançamento é quase idêntico às instalações do Soyuz existentes no Cazaquistão e na Rússia, adaptado às normativas de segurança europeias.

Soyuz on launch pad

A principal diferença é a Torre de Serviço Móvel, com 45 m de altura. Esta estrutura permite integrar a carga útil sobre o lançador quando este já se encontra em posição vertical sobre a plataforma de lançamento. A torre conta com uma série de plataformas móveis no seu interior, o que facilita o acesso aos distintos sistemas do lançador durante as inspecções prévias ao lançamento.

A capacidade de lançamento do Soyuz situa-se a meio caminho entre a dos lançadores Ariane 5 e Vega, desenvolvidos pela ESA. O Ariane 5 é o lançador por excelência para os satélites de maior tamanho, enquanto o Vega foi concebido para fazer frente ao crescente mercado dos pequenos satélites.

O Soyuz traz consigo a possibilidade de se realizarem voos tripulados até à Estação Espacial Internacional, a partir da Guiana Francesa.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.