A sonda Rosetta aproximar-se-á da Terra

A Rosetta sobrevoa a Terra para beneficiar da força gravítica
25 Fevereiro 2005

A Rosetta, o interceptor de cometas da ESA, realizará um sobrevoo orbital ao planeta Terra a 4 de Março de 2005 -; os observadores do céu deverão conseguir vê-la com telescópios ou binóculos se o céu estiver limpo! Continue a ler para obter mais informações sobre o concurso de fotografia da ESA 'Ver a Rosetta de perto'.

A Rosetta está a aproximar-se da Terra vinda de uma zona no céu situada entre as constelações Leão e Sextante, e deverá começar a ser visível através de telescópios amadores de maiores dimensões, por volta do dia 26 de Fevereiro de 2005.

A nave espacial fará a sua maior aproximação à Terra por volta das 23:10 CET (Hora Central Europeia), aproximando-se até cerca de 1900 quilómetros de distância, altura em que estará sobre o México, depois de já ter passado pela Europa.

Os observadores europeus poderão ter uma melhor visão à noite

Na noite da maior aproximação, os observadores do céu que se encontrarem na Europa e utilizem telescópios mais pequenos ou binóculos estarão favorecidos para seguir este evento Infelizmente, não se prevê que a Rosetta seja visível a olho nu na Europa, dado que se encontrará a uma distância de cerca de 10 000 quilómetros até desaparecer no horizonte.

Os astrónomos amadores que, no entanto, utilizarem sistemas de vídeo ou de fotografia em conjunto com um telescópio deverão ter uma excelente oportunidade de visualização — se o tempo o permitir. Poderão inclusivamente ver os painéis solares da Rosetta, os quais se estendem por mais de 32 metros; e é possível que seja também possível distinguir a antena de alto ganho.

Após o pôr do sol a 4 de Março, ela parecerá viajar de sudeste para sudoeste, deslocando-se da constelação de Sextante em direcção ao Sol poente, cruzando todo o céu. Mover-se-á mais rapidamente à medida que se for dirigindo para oeste, desaparecendo abaixo do horizonte por volta das 23:00 CET. Vista da Europa, atingirá apenas uma 'magnitude' de cerca de +8 ou +9 na escala de luminosidade utilizada pelos astrónomos. É menos brilhante do que uma típica estrela fraca e não é visível a olho nu.

Rosetta viaja entre a Terra e Marte

Esta manobra de sobrevoo orbital levará a nave espacial Rosetta de três toneladas numa viagem à volta do nosso planeta e em direcção a Marte, perto do qual passará a 26 de Fevereiro de 2007, antes de passar novamente perto da Terra. Os sobrevoos orbitais são necessários para acelerar a nave espacial, utilizando a gravidade planetária, de forma a poder igualar a velocidade orbital do cometa alvo.

Este é o primeiro de quatro sobrevoos orbitais de planetas (três vezes com a Terra, uma vez com Marte) que a Rosetta realizará na sua longa viagem até ao seu alvo, o Cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. A Rosetta atingirá o cometa em 2014, entrará na sua órbita e depositará um módulo de aterragem, Philae, na superfície.

A Lua servirá como asteróide 'fictício'

Várias actividades estão planeadas para o este sobrevoo orbital. Algumas horas antes da maior aproximação a nave espacial será apontada para a Lua e a detecção remota e vários outros instrumentos serão ligados para efeitos de calibração.

Após este sobrevoo orbital, uma das duas Câmaras de Navegação será ligada para testar a capacidade da Rosetta de seguir asteróides, utilizando a Lua como asteróide 'fictício'. Está previsto que a Rosetta passe ao largo de dois asteróides, o Steins em Setembro de 2008 e o Lutécia em Julho de 2010; durante essa aproximação, este modo de seguimento será utilizado para manter os instrumentos da nave espacial centrados no alvo.

Concurso de fotografia 'Ver a Rosetta de perto'

Os observadores do céu de todo o mundo estão convidados a enviar as suas fotos da Rosetta a passar pela Terra para o concurso de fotografia da ESA 'Ver a Rosetta de perto'. Mais informações sobre o concurso, as regras, os prémios e os procedimentos de envio serão brevemente publicados no site da ESA.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.