“Adeus Sol, adeus Terra, estamos de partida para Marte!”.

Romain in his cabin
3 Junho 2010

Diário Mars500 #1, Junho 2010

Olá, ,

Se está a ler este texto, suponho que já conheça as características técnicas do projecto Mars500. Na primeira mensagem do diário, gostaria de falar sobre o treino, visto de dentro.

Para mim, o mais importante foi ter descoberto, por um lado, o mundo do espaço e por outro, o mundo da investigação.

A minha formação de base é essencialmente na indústria, especificamente na área automóvel. O espaço sempre foi um objectivo distante, praticamente inatingível. Hoje ouço os seguintes comentários à minha volta: «Eu estive em Cabo Canaveral há dois dias», «eu lembro-me quando fui ao local de aterragem da Soyuz», «apresento-te o meu amigo cosmonauta» , e por aí fora. É muito excitante!

Imaginem também a quantidade de investigadores que tem viajado do mundo todo, para Moscovo, para nos explicarem as suas experiências. Com mais de 100 para realizar, contamos com o apoio de pelo menos 300 cientistas e médicos. Um privilégio de poucos, penso eu.

Se a isto acrescentarmos a tripulação internacional de seis pessoas, notamos que este terreno multicultural é perfeito para uma mente curiosa e eu senti-me verdadeiramente estimulado durante o treino. Agora, o grande desafio está à nossa frente. Adeus Sol, adeus Terra, estamos de partida para Marte!

Diego, queres dizer alguma coisa?

Diego testing the computer

Obrigada Romain!

Apesar de já ter participado em projectos relacionados com o espaço, a Mars500 não deixou de me trazer várias surpresas. Começou com o processo de selecção: antes de eu chegar à Rússia, não tinha noção de que uma tamanha quantidade de testes médicos poderiam ser feitos num ser humano. Fiquei feliz por saber que não tinha qualquer tipo de doença estranha, que só poderia ser diagnosticada por uma máquina gigante de três milhões de euros!

O treino, tal como disse o Romain, rapidamente nos mostrou a amplitude da experiência. O carcater internacional da Mars500 não está apenas relacionado com a tripulação, mas também com os investigadores que vêm de tantos países que seria difícil nomear todos neste post.

Isto é uma questão muito importante na Mars500, já que nenhum viagem para o Planeta Vermelho será missão para uma nação sozinha. Saber como colaborar a todos os níveis é fundamental.

Ficamos a saber que alguns dos testes são divertidos, outros são potencialmente aborrecidos, mas temos a certeza de que todos são importantes, se algum dia quisermos ir mais longe do que a Lua. Há vários tipos de testes. Se se mantiver por aí, iremos revelar-lhe uma série de factos acerca destes testes e da forma como os executamos dentro do módulo.

Estamos muito felizes por fazer parte desta tripulação e desta importante experiência e esperamos que alguns de vós, os nossos leitores, sejam aqueles que virão a pisar Marte. Através das entradas deste blog esperamos que aprendam de uma forma informal o bom e o mau que se pode esperar de uma viagem tão longa.

Adeus Terra!

Romain e Diego

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.