Adiado lançamento de missão Gaia

Gaia mapping the stars of the Milky Way
25 Outubro 2013

O lançamento da missão ‘caça-estrelas’ da ESA foi adiado, depois de ter sido identificado um problema técnico num satélite já em órbita.  A nova data de lançamento da missão Gaia será o dia 20 de dezembro, de acordo com o calendário da Arianespace. 

O lançamento da missão ‘caça-estrelas’ da ESA foi adiado depois de ter sido identificado um problema técnico num satélite já em órbita.  

A nave Gaia tem alguns dos componentes envolvidos neste problema técnico e a rápida notificação deste problema permitiu aos engenheiros trabalhar nas preparações finais para o lançamento da missão Gaia, tomando medidas de precaução adicionais.

O problema está relacionado com componentes de dois transmissores da Gaia que geram sinais cronológicos para o envio da telemetria científica. Para evitar o aparecimento de problemas, estes componentes serão substituídos.  

Os dois transmissores serão removidos da nave em Kourou, enviados para a Europa, onde os componentes em questão serão substituídos e verificados. Depois da substituição ter sido feita, os dois transmissores serão postos novamente na nave que passará por um teste final.  

Estas medidas de precaução obrigam no entanto a um adiamento do lançamento, inicialmente previsto para 20 de novembro.

A próxima janela de lançamento disponível é de 17 de dezembro a 5 de janeiro de 2014.

Serão fornecidos mais detalhes em breve, assim que tiver sido estabelecido o calendário do trabalho adicional bem como a agenda da Arianespace.

O principal objetivo da missão Gaia é criar um mapa tridimensional, de grande precisão, da nossa Via Láctea, através da observação repetida de mil milhões de estrelas para determinar a sua posição no espaço e o seu movimento através dele.  

Outras medições irão avaliar as propriedades físicas de cada estrela, incluindo a temperatura, a luminosidade e a composição. O mapa daí resultante irá permitir aos astrónomos conhecer a origem e a evolução da nossa Galáxia. 

A Gaia irá mapear as estrelas a partir de uma órbita à volta do Sol, num ponto a 1.5 milhões de quilómetros para lá da órbita da Terra, num ponto conhecido como L2.

A nave espacial irá rodar lentamente, apontando os seus dois telescópios para todo o céu e focando a luz simultaneamente para uma única câmara digital, a maior que alguma vez foi lançada para o espaço – tem cerca de mil milhões de pixéis.

No início deste mês foi testado o escudo solar da nave, na sala limpa em Kourou. Neste momento já está na sua configuração final, pronto para o lançamento.

Logo a seguir ao lançamento, o escudo será desenrolado, formando uma ‘saia’ de 10,5 metros de extensão à volta da base da Gaia.

O escudo tem duas funções: proteger os telescópios e câmaras da Gaia da luz do sol, permitindo que estes arrefeçam até à temperatura de funcionamento – 110ºC, e fornecer energia de operação à nave. A face do escudo virada para o Sol está parcialmente coberta por painéis solares de forma a permitir a produção de eletricidade. 

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.