As comunicações com a Estação Espacial Internacional

André à conversa com crianças
10 Fevereiro 2012

Hoje em dia é comum ver-se o astronauta da ESA, André Kuipers, a bordo da Estação Espacial Internacional. Acende-se a televisão ou verrifica-se o Twitter e lá está ele. Uma vez que não há cabos a ligarem a Estação à Terra, como é que isto acontece?

A resposta, claro, é: via satélite. A resposta pode ser simples, mas o processo em si é bastante mais complicado.

Por trás do sorriso de André está um complexo sistema de equipamento, como amplificadores, multiplexers, antenas, nós e modelação de sinal.

Graças aos satélites de telecomunicações, a tripulação consegue receber emails na Estação Espacial, fazer chamadas privadas através de telefones com IP. É também por este meio que podemos vê-los em vídeo conferências televisivas.

A Estação Espacial

A Estação está numa órbita baixa – a cerca de 400 km – o que significa que só se consegue estabelecer uma ligação direta quando a ISS passa por uma estação em terra.

Assim, a alternativa é enviar os sinais da Estação até aos satélites geoestacionários a 36 mil km do equador.

Os satélites geoestacionários demoram exatamente um dia a dar a volta à Terra, o que faz com que parecem estar imóveis no céu. Isto permite manter o contato permanente com as estações de seguimento, retransmitindo em tempo real os sinais da Estação para vários centros de controlo em terra.

O processo contrário acontece quando, por exemplo, o centro de controlo do Columbus, em Munique, Alemanha, envia sinais para a Estação.

ESA's Artemis satellite
O satélite Artemis da ESA

O satélite da ESA Artemis desempenha a mesma função para o Veículo de Transferência Automatizado europeu na viagem que a nave de carga faz rumo à Estação.

A ESA está a desenvolver um Sistema Europeu de Retransmissão de Dados, que se baseará no mesmo processo, para criar uma rede de telecomunicações que irá fornecer, a pedido e em tempo real, dados dos satélites europeus. Os astronautas europeus na Estação usam o equipamento americano.

Quando a filha de André lhe cantou e o mundo assistiu à chamada da Terra para a Estação, a ligação estava a ser feita na frequência da banda Ku, que é a utilizada normalmente para a transmissão de satélite de programas de televisão.

A banda Ku é também a que André utiliza para enviar email ou tweets com fotos para os seus muitos seguidores em Terra.

De frequência mais baixa, a banda S é usada para comandar a Estação, para telemetria e para comunicações de voz.

André no Columbus

As ligações de vídeo via satélite também são muito úteis quando André trabalha no módulo de pesquisa Columbus. Através da ligação em direto, os seus colegas no centro de controlo podem vê-lo o que lhes permite trabalhar em conjunto.

Os especialistas em terra podem ver o que ele está a fazer, verificar se tudo corre de acordo com o planeado e se as ferramentas usadas são as corretas.

Pode seguir em direto a atividade André na Estação através do Twitter, visitando o canal da ESA no Youtube ou espreitando a página da ESA no Flickr. Os links estão na coluna à direita.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.