Atravessar a África com o sistema EGNOS

ASECNA plane will land using the EGNOS
17 Maio 2005

Na próxima semana, a Agência Espacial Europeia (ESA) sobrevoará a África, entre o Senegal e o Quénia, utilizando a navegação por satélite. O objectivo é demonstrar métodos para uma aviação mais segura na região.

A ESA já demonstrou que se podem obter aterragens seguras em África graças ao EGNOS - European Geostationary Navigation Overlay Service (Sistema Europeu Complementar Geoestacionário de Navegação). Várias campanhas de teste foram conduzidas, particularmente em Fevereiro de 2003 no Senegal.

O sistema de navegação por satélite oferece uma abordagem de orientação vertical em cada pista sem qualquer infra-estrutura específica no solo. Também permite o desenvolvimento de uma aviação mais segura em aeroportos secundários, nos quais seria demasiado dispendioso aplicar as clássicas ferramentas de suporte à aterragem. O GPS sozinho não pode fornecer esta orientação vertical nem assegurar a sua integridade.

O EGNOS é um programa da ESA, da Comissão Europeia e da Eurocontrol, a Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea. Desenvolvido por um consórcio industrial liderado pela Alcatel Space, o EGNOS é constituído por uma rede de cerca de quarenta elementos espalhados por toda a Europa, destinados a recolher, corrigir e melhorar os dados do GPS americano. Os sinais modificados são, depois, retransmitidos via satélites geoestacionários para os receptores dos utilizadores. O EGNOS oferece uma precisão de posicionamento de menos de dois metros por oposição aos 15 a 20 m dos sinais de GPS. Também garante a qualidade dos sinais, algo que o GPS, um sistema militar, não visa fornecer.

Um avião ATR 42 da ASECNA (Agence pour la sécurité de la navigation aérienne en Afrique et à Madagascar) concebido para estes voos de ensaio foi equipado para receber sinais do EGNOS. O avião utilizará o EGNOS para seguir um percurso ao longo das rotas de aviação da maior parte do continente africano.

Além disso, o piloto aterrará utilizando os sinais do banco de ensaio EGNOS, designado por Interregional Satellite Based Augmentation System (ISA) (Sistema Interregional de Aumento Baseado em Satélite) - disponível na região da África-Oceano Índico - que representa a extensão do EGNOS em África. Partindo de Dakar a 16 de Maio, a primeira paragem será N'djamena, no Chad, antes de chegar a Nairobi. Outras tentativas de voo terão lugar a partir do aeroporto de Nairobi, a capital do Quénia.

Um programa contínuo assegurou, desde 2002, a instalação de 10 estações de referência em vários países africanos: Chad, Camarões, República Centro-Africana, Congo, Etiópia, Quénia, Zâmbia, Namíbia e África do Sul. Todas estas estações estão ligadas ao banco de ensaio EGNOS situado em Hönefoss, na Noruega.

As demonstrações em toda a África são feitas no âmbito do Programa de Desenvolvimento e Demonstração das Aplicações do Galileo e do EGNOS (ProDDAGE) em cooperação com a Empresa-Comum Galileo (Galileo Joint undertaking - GJU), criada pela ESA e pela Comissão Europeia.

O EGNOS está, actualmente, a ser submetido a uma revisão do seu estado de preparação e será declarado progressivamente operacional até ao início de 2006, com um processo de certificação para sistemas de navegação aérea e de segurança de vida que deverá ser finalisado até 2007.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.