Bancos por satélite em África

Microfinance office in Cameroon
24 Junho 2013

 

Graças aos satélites, está a ser possível fazer transferências de dinheiro entre sítios remotos na África subsariana, e de outra forma estariam desligados do mundo exterior. 

Um projeto da ESA que procura encontrar formas de utilizar satélites para serviços nos países em desenvolvimento onde as ligações terrestres são simplesmente impossíveis ou inexistentes deu origem ao projeto piloto da Agência, SatFinAfrica, em 2011. 

Foi tão bem sucedido que uma companhia chamada SatADSL foi montada na Bélgica no início do ano passado para disponibilizar comunicações por satélite ao serviço das operações financeiras em África. Escritórios de microfinanças em diferentes aldeias, ligados via satélite, permitem às pessoas transferir ou levantar dinheiro facilmente. 

O serviço de comunicação por satélite é vendido através de um distribuidor africano local que o revendem aos escritórios financeiros, em nome da SatADSL.

Atualmente, a SatADSL serve mais de 100 escritórios e o número está a crescer. Cada dependência tem o seu próprio terminal de satélite. 

Withdrawing cash via satellite in Ghana

A SatADSL acabou de receber €1 milhão de um investidor privado belga, para apoiar o seu crescimento, com o objetivo de ligar milhares de filiais de companhias de microfinanças na África subsariana via satélite.  

Outros serviços oferecidos pela SatADSL incluem caixas multibanco para levantar dinheiro em qualquer altura, mesmo em locais remotos e de outro modo sem ligação.

As máquinas funcionam da mesma maneira que na Europa, só que em África está um terminal de satélite no telhado. Para quem está a levantar dinheiro, o procedimento é igual. As ligações por satélite também oferecem o mesmo nível de segurança que uma operação por ligação terrestre.

A SatFinAfrica usa a tecnologia da satélite Sat3Play desenvolvida pela Newtec na Bélgica com o apoio do programa da ESA, Advanced Research in Telecommunications Systems (ARTES). A ligação por satélite é fornecida pela SES Astra no Luxemburgo, usando Banda Larga da SES.

SatADSL equipment

Quando alguém usa uma máquina de levantamento automático, a informação é enviada via satélite para o centro da SES, no Luxemburgo. Isto é transferido através de uma rede virtual privada até à sede em África.

A confirmação é enviada de volta para o utilizador através do mesmo sistema. Isto tudo se resolve numa questão de minutos em vez dos dias que costumavam demorar.

“Estamos muito contentes por ter podido ajudar a SatADSL a tornar-se num importante parceiro no Mercado transacional africano, no setor bancário, usando a Sat3Play, uma tecnologia líder criada na Europa,” disse Davide Tomassini, Diretor Técnico da ESA.

“A Sea&Space Exploration está muito contente por ter estabelecido esta parceria com a ESA nesta atividade de Investigação & Desenvolvimento que resultou na criação de uma empresa a operar comercialmente, a SatADSL. A SatADSL está a explorer as tecnologias europeias para benefício do povo africano, e apoiando o desenvolvimento de serviços financeiros fora das regiões densamente povoadas, “ acrescentou Caroline De Vos, Chefe de Operações da SatADSL.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.