Bem-vindo a casa, Paolo!

25 Maio 2011

O astronauta da ESA, Paolo Nespoli, regressou à Terra na madrugada de terça-feira, terminando a sua missão de 159 dias a bordo da Estação Espacial Internacional. Nespoli, em órbita desde Dezembro de 2010, desempenhou a função de engenheiro de voo nas Expedições 26 e 27.

A missão de Paolo, baptizada como ‘MagISStra’, terminou ontem às 04:27 CEST (02:27 GMT) quando a nave Soyuz TMA-20 poisou suavemente sobre as estepes do Cazaquistão. Esta foi a terceira missão de longa duração de um astronauta europeu a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS).

Paolo e os seus companheiros de tripulação, Dmitri Kondratyev e Catherine Coleman, embarcaram na Soyuz segunda-feira à noite, partindo do porto de nadir do módulo Rassvet da Estação às 23:35 CEST (21:35 GMT).

O comandante Kondratyev segurou a Soyuz a 180 metros da Estação para que Paolo pudesse fazer fotos do complexo orbital, com o vaivém espacial Endeavour, o ATV Johannes Kepler, a Soyuz TMA-21 e uma nave Progress atracados nos seus portos. A Estação Espacial rodou 130 graus durante a sessão de fotos para oferecer a sua melhor vista à câmara.

Paolo Nespoli fez fotos da ISS durante 30 minutos, a partir do módulo orbital da Soyuz, antes de regressar ao seu lugar no módulo de aterragem, para que se iniciasse o regresso a casa.

Uma missão muito atarefada

Durante os mais de cinco meses que Paolo Nespoli permaneceu no espaço, levou a cabo um intenso programa de investigação científica, que abarcava desde testes nutricionais e experiências médicas a medidas dos níveis de radiação ou o estudo dos padrões de convecção num fluido confinado no interior de uma esfera – simulando o comportamento do magma debaixo da crosta terrestre.

Paolo preparou um largo número de amostras que regressarão à Terra a bordo do vaivém ou das naves Soyuz, para serem analisadas em laboratórios especializados.

A sua estadia na Estação Espacial Internacional foi particularmente atarefada. Nespoli participou nas manobras de acoplagem de duas naves de reabastecimento: o segundo Veículo Automatizado de Transferência (ATV) europeu, o Johannes Kepler, em Fevereiro, e o segundo HTV japonês, Kounotori, no mês de Janeiro.

O vaivém espacial Discovery visitou a Estação no final de Fevereiro, instalando o Módulo Permanente Multiuso Leonardo no complexo orbital. O Discovery também transportou um grande número de peças de reposição para a Estação e o robô humanóide Robonaut.

O vaivém espacial Endeavour chegou à ISS na semana passada. A bordo, outro italiano, o astronauta da ESA Roberto Vittori. Esta foi a primeira vez na história que dois astronautas italianos se encontram em órbita.

Ontem também foi a primeira vez que uma nave Soyuz abandona o complexo orbital enquanto um vaivém espacial se encontra atracado à Estação.

Longe, mas perto

Paolo ajudado a sair da Soyuz

Agora que a missão MagISStra chegou ao fim, muitas pessoas perderão parte da sua rotina diária – milhares de seguidores começavam o seu dia a apreciar as fotos feitas por Nespoli, lá no espaço.

Paolo Nespoli aproveitou a sua posição privilegiada para fazer centenas de fotos da Terra. ASua conta de Flickr – tem 879 imagens, uma média de quatro fotos por dia durante a sua permanência em órbita. A sua galeria foi visitada por mais de sete milhões e duzentas pessoas.

Nespoli também foi muito activo no Twitter (@astro_paolo), publicando 1296 tweets durante a sua missão, alcançando os 46 186 seguidores. Recentemente foi finalista dos prémios Shorty e é sem dúvida o astronauta europeu mais conhecido nas redes sociais.

Durante os próximos dias, Paolo estará ocupado com reuniões e provas pós-voo e a recuperar fisicamente após uma permanência tão longa em condições de microgravidade.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.