Galileo avança

Galileo - um meio preciso e seguro de posicionamento por satélite
20 Julho 2004

A fase de desenvolvimento e validação em órbita do GalileoSat está bem encaminhada e a Agência Espacial Europeia (ESA) acaba de lançar o seu processo de aprovisionamento para a indústria, indicando que o primeiro sistema de navegação por satélite totalmente civil está a avançar.

Implementação do Galileo: uma aproximação faseada

O Programa Galileo está a ser implementado em três fases:

  • Fase de Definição
  • Desenvolvimento e validação em órbita
  • Colocação total e Operações

A fase de Definição terminou em 2003 e definiu as especificações básicas para o sistema.

Contracts signed for the development of GSTB satellites
Contratos assinados para o desenvolvimento de satélites GSTB

A fase de Desenvolvimento e de Validação em Órbita teve início no final de 2003. Esta fase tem por objectivo efectuar uma validação em órbita do sistema utilizando uma constelação reduzida de quatro satélites, que é o número mínimo para garantir o fornecimento do tempo e do posicionamento exactos nos locais de teste.

Hydrogen maser clock
Relógio de maser de hidrogénio

No início desta fase, será também lançado um satélite experimental, a fim de assegurar as classificações das frequências do Galileo, caracterizar as órbitas a utilizar pelos satélites de validação em órbita e testar algumas das tecnologias críticas, tais como os relógios atómicos.

Galileo System Test Bed (GSTB) launch contract signed
Assinatura do contrato de lançamento do Galileo System Test Bed (GSTB)

O satélite experimental será lançado antes do final de 2005. A validação em órbita terá lugar antes de 2007.

Galileo constellation
Constelação do Galileo

À fase de Desenvolvimento e Validação em Órbita seguir-se-á a fase de Colocação Total, que abrange o fabrico e o lançamento dos restantes satélites e a conclusão do segmento terrestre. Depois de todos os satélites terem sido totalmente colocados, as operações terão início com a constelação completa de 27 satélites operacionais e três de reserva, todos estacionados em três Órbitas Terrestres Médias (MEOs) circulares a uma altitude de 23 222 km e com uma inclinação de 56º relativamente ao equador. Para apoiar este processo, haverá uma rede extensiva de estações terrestres e centros de assistência locais e regionais.

Por sua vez, a Empresa-Comum Galileo (Galileo Joint Undertaking), criada conjuntamente pela Comissão Europeia e pela ESA, iniciou o processo de escolha do concessionário, a futura “Galileo Operating Company”, que se encarregará da colocação final e das operações.

Galileo: uma dimensão global na cooperação internacional

Paralelamente a estes passos técnicos, os aspectos políticos deste programa estão a evoluir com o acordo negociado entre a União Europeia e os Estados Unidos. Este acordo foi assinado em Junho de 2004 na cimeira EU-US em Dublin. Isto permite encarar de forma real a compatibilidade e interfuncionalidade do Galileo e do GPS para o benefício de todos. O Galileo com o GPS, sem esquecer o sistema russo GLONASS, deverão tornar-se no padrão mundial de navegação por satélite. Isto sublinha a dimensão global do Galileo com acordos com outros países, como a China, a Índia, o Canadá e Israel, já assinados ou em fase de discussão.

Todas as fases do Galileo estão a avançar na mesma direcção para a implementação de um sistema que irá revolucionar o nosso dia-a-dia em diversos sectores, oferecendo aos cidadãos europeus, e ao mundo em geral, um meio preciso e seguro de posicionamento por satélite.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.