Iris: veja como os satcoms ajudam os pilotos

A viagem começa
5 Março 2012

A ESA vai divulgar em Amsterdão um novo dispositivo interativo de comunicação via satélite para pilotos, desenvolvido no âmbito do Iris, um projeto pioneiro de gestão de tráfego aéreo.

Em 2020, o Iris vai permitir às tripulações de cabine trocar mensagens digitais com os controladores de tráfego aéreo, sobre oceanos e continentes, onde quer que eles estejam.

O quadro interativo mostra como os controladores irão escrever e enviar mensagens de dados para os aviões e, em seguida, como os pilotos poderão responder. Uma mensagem típica pode incluir indicações dos controladores sobre o rumo a seguir. Em écrans diferentes mostra-se o que veem os controladores, os pilotos e o tráfego aéreo abrangido pelo satélite.

Construído pela Universidade de Salzburg, o quadro interativo pode ser visto na Air Traffic Control Global Exhibition and Conference na Amsterdam RAI, entre 6 e 8 de março. As inscrições para visitar a exposição são gratuítas. Pode aceder ao site da conferência clicando no link: http://www.atcglobalhub.com/events/exhibition

O Iris permite trocas de informação mais seguras e em regiões geográficas mais vastas do que as atuais, explica Nathalie Ricard, responsável pelo projeto Iris da ESA.

"Ao falar com os nossos parceiros da aviação sobre as comunicações por satélite, percebemos que havia alguma preocupação de que os satcoms pudessem complicar as tarefas aos controladores e pilotos, porque não estão integrados nos sistemas de segurança da aviação atual.

"Mas no futuro estarão. Com o Iris, os pilotos e os controladores não vão sequer perceber que as suas trocas de informação se fazem via satélite.

"Pensámos que deveríamos desenvolver uma maquete que demonstrasse essas vantagens e simular o seu funcionamento de forma interativa."

"A Universidade de Salzburg é um centro especializado para a aviação e é respeitado na Europa para novas tecnologias de gestão do tráfego aéreo", diz Nathalie. "A Universidade esteve envolvida com o Iris desde o início."

O sistema europeu de gestão do tráfego aéreo tem mais de 60 setores diferentes, todos controlados individualmente. Os pilotos e os controladores ainda comunicam principalmente por voz em frequência de rádio VHF ou HF, como faziam na década de 1950.

Os vários écrans mostram o ponto de vista do controlador

Sistemas limitados de comunicação de dados já estão a ser introduzidos na Europa para comunicações essenciais utilizando tecnologia desenvolvida na década de 1980, mas não serão capazes de lidar com o crescimento de tráfego até 2020.

Os aviões irão precisar de melhores ligações com o solo - e é aqui que entra o Iris. O Iris fornece uma plataforma para os aviões, sendo a indústria da aviação a decidir como usar essa plataforma. Essa utilização poderá incluir informação para a companhia aérea sobre o combustível disponível ou monitorização contínua sobre a localização do avião.

Iris

Ao reconhecer a necessidade de modernizar a gestão do tráfego aéreo da Europa, a Comissão Europeia lançou o Single European Sky Policy, no qual se inclui o programa de investigação SESAR (Single European Sky ATM Research Programme).

O SESAR tem como objetivo criar um sistema de ATM de alta performance que permita o desenvolvimento seguro e ambientalmente amigável do transporte aéreo.

Em resultado deste programa abriu-se uma oportunidade única para desenvolver uma solução de melhoramento da segurança dos céus europeus baseada em tecnologia do espaço.

A ESA iniciou o projeto Iris em 2007 para promover a comunicação por satélite no âmbito do SESAR. Graças a esse esforço, a importância dos satcoms para a aviação foi já reconhecida e incluída no plano diretor do sistema ATM.

O Iris é um tipo de iniciativa nova para a ESA, em que a componente espacial é apenas um elemento de um sistema muito mais abrangente.

O projeto está a ser planeado com o apoio da Comissão Europeia, o consórcio SESAR, a Eurocontrol, a indústria espacial europeia, prestadores de serviços de navegação aérea e stakeholders da aviação.
(Para mais informações, consulte os links na coluna à direita.)

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.