Os dróides em ação

Jogos de robótica: código de estudantes europeus chega à Estação Espacial

16 Janeiro 2013

Operar andróides no espaço não foi um obstáculo para uma aliança germano-italiana alcançar a linha de chegada do torneio Zero Robotics (robótica Zero). Os vencedores europeus conduziram mini-robôs através de nuvens de poeira e encontros virtuais com satélites desactivados, na leveza da Estação Espacial Internacional.

A competição deste ano deu a mais de 130 estudantes do ensino secundário de toda a Europa a oportunidade de operarem dróides no espaço através de codificação de software.

Seis alianças entre equipas de Itália, Alemanha, Espanha e Portugal testemunharam como os seus códigos de computador funcionavam na Estação Espacial, através do centro de investigação e tecnologia espacial da ESA, ESTEC, localizado na Holanda.

O jogo espacial RetroSpheres envolveu duas corridas de mini-robôs usando a menor quantidade possível de combustível. Durante a dança programada de três minutos, as esferas (do tamanho de bolas de vólei) moviam-se impulsionadas por 12 jatos de gás comprimido.

Os campeões europeus

Os concorrentes podiam obter combustível extra a partir de satélites desativados e desórbitar  satélites para conseguir pontos extra enquanto navegam através das nuvens de poeira dos seus adversários.

 

“É muito bom ver o que estes alunos têm criado e como operaram os seus algoritmos no espaço”, disse da Estação Kevin Ford da NASA. O astronauta e o seu colega Tom Marshburn configuraram os jogos a partir do laboratório japonês Kibo.

A equipa com mais combustível nas finais europeias foi a aliança BEER, acrónimo inglês para  Irmandade de Estimados Pesquisadores Europeus (beer em inglês também quer dizer cerveja). Alunos alemães e italianos do ensino secundário desenvolveram o software que calculou o caminho da vitória para o seu robô, numa final emocionante na qual se demonstraram as leis do movimento de Newton.

O futuro robótico

As finais

O desafio de controlar robôs remotamente começou nos Estados Unidos, onde um professor aventureiro do Instituto de Tecnologia de Massachusetts se inspirou na saga Star Wars. Os mini-robôs são usados na Estação desde 2006 para experimentar novas manobras.

O astronauta da ESA André Kuipers, que conduziu a competição a partir da Estação no ano passado, foi o anfitrião do evento no ESTEC. “A Europa está a aderir a missões com robótica. Os robôs são e serão uma grande ajuda no espaço”, observou ele.

 

O consumo de combustível da nave espacial - dióxido de carbono, neste caso - era uma questão de programação para os alunos. “A maioria de nós não sabia nada sobre programação antes desta competição. O trabalho em equipa e estratégias criativas ajudaram-nos a ter sucesso”, explicou Jaime Sevilla, um dos jogadores espanhóis.

Os professores ficaram satisfeitos por verem os seus alunos a aprenderem a comunicar uns com os outros, a ganharem conhecimento técnico e aumentarem o entusiasmo.

Para reproduzir o webcast completo do evento, basta clicando no link à direita.

Os finalistas europeus
Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.