Lançado com sucesso o satélite de gelo da ESA, CryoSat

Descolagem do satélite CryoSat2 da ESA
9 Abril 2010

A primeira missão europeia, dedicada ao estudo da cobertura de gelo do planeta, foi lançada ontem, com sucesso, a partir do Cazaquistão. A partir da sua órbita polar, os dados enviados pelo CryoSat 2 fornecerão novas pistas sobre a forma como a cobertura de gelo terrestre está a ser afectado pelas alterações climáticas e o seu papel no 'sistema terra'.

O satélite CryoSat-2 foi lançado às 15:57 CEST (13:57 UTC) por um foguete Dnepr, da Companhia Espacial Internacional Kosmootras, a partir do Cosmódromo de Baikonur. O sinal confirmando a separação do satélite do seu lançador chegou 17 minutos depois, vindo da estação de terra de Malindi, no Quénia.

O CryoSat-2 veio substituir o original Cryosat, perdido em 2005, num lançamento falhado. Os objetivos da missão, no entanto, continuam os mesmos: medir a espessura de gelos na cobertura gelada da Antártida e da Gronelândia, assim como as variações na relativamente fina capa de gelo sobre os oceânos polares.

Cryostat2 successfull launch
Lançamento bem sucedido da missão CryoSat2

"Sabemos, graças aos radares em satélites, que o gelo marinho está diminuindo, no entanto há uma necessidade urgente de entender como está a alterar-se o volúme de gielo", comentou Volker Liebig, Director de Programas de Observação da Terra da ESA. "Para fazer estes cálculos os cientistas necessitam de informação sobre a espessura da camada de gelo, que é exactamente o que o Cryosat irá fornecer. Estamos ansiosos por receber os primeiros dados desta missão".

O lançamento do Cryosat-2 é um marco importante no programa de Observação da Terra da ESA: são já três o número de satélites Earth Explorer actualmente em órbita, todos eles lançados em pouco mais de 12 meses. O Cryosat foi lançado depois da missão GOCE para o estudo da gravidade terrestre -lançada em Março de 2009-, e do SMOS -para medir a salinidade do mar e a humidade do solo, lançado em Novembro passado-.

Os satélites Earth Explorer representam uma resposta directa a questões identificadas pela comunidade científica, e visam aumentar o que se sabe sobre o funcionamento da Terra como sistema.

CryoSat measures the freeboard of floating sea ice.
CryoSat a medir os gelos

Como resposta a este pedido, o Cryosat-2 está equipado com o primeiro radar altímetro preparado para medir superfícies geladas. A sua carga útil primária, o sofisticado radar altímetro interferométrico SIRAL, foi desenvolvido pela Thales Alenia Space para medir a espessura do gelo que flutua nos oceânos e registar as alterações nas camadas de gelo terrestre- em particular nas costas de donde surgem os icebergs.

O satélite CryoSat-2 foi construído por un consórcio liderado pela EADS Astrium. O satélite está em órbita polar e alcança os 88º de latitude, ou seja, aproxima-se dos polos muito mais do que os outros satélites de observação da Terra. Isto significa que se consegue cobrir uma área adicional de uns 4.6 milhões de quilómetros quadrados. Esta cobertura extra representa uma superfície maior do que a dos 27 países da União Europeia. A combinação de alta tecnologia a bordo e órbita polar é fundamental para que se perceba melhor a relação entre o gelo e o clima.

Agora que o Cryosat-2 está em órbita, o Centro de Controle da Missão no Centro Europeu de Operações Espaciais (ESOC) da ESA, em Darmstadt, Alemanha, dedica-se à crítica fase LEOPS (sigla de Fase de Lançamento e Fase de Operações Iniciais).

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.