O acidente do Progress 44 e as suas consequências para a Estação Espacial

Aproximação de um anterior Progress à ISS
5 Setembro 2011

Os seis astronautas na Estação Espacial Internacional estão a salvo e mantêm a sua actividade normal depois da perda da nave de carga, a 24 de Agosto.

Enquanto uma comissão russa investiga as causas do acidente, os parceiros da Estação preparam-se para os diferentes cenários que possam garantir a segurança da tripulação e dos postos orbitais.

O cargueiro espacial russo, Progress 44, que transportava 2670 quilos de material para a Estação, falhou a órbita depois de o motor do terceiro andar se ter desligado prematuramente, 325 segundos depois da descolagem, no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

Os destroços do foguete caíram em terra, de uma altitude de cerca de 200 km, por cima da República do Altai, no Sul da Sibéria.

Sequência de lançamento do Soyuz-U

Até agora não foram encontrados destroços e é possível que quer o foguete quer o Progress – ambos carregados com combustível e oxigénio – se tenham incendiado na atmosfera.

As equipas de resgate continuam a inspecionar grandes áreas, em terreno acidentado e sob condições atmosféricas muito duras, à procura de pistas.

Os lançamentos dos foguetes Soyuz ficaram suspensos até que seja identificada a causa da falha no motor.

A ESA reconhece a vasta experiência dos seus parceiros russos tal como o excelente nível de segurança do lançador Soyuz e está confiante de que será encontrada em breve a razão da falha.

Tripulação da Estação está a salvo

As novas condições não puseram a Estação em risco e a segurança da Expedição 28 a bordo não está comprometida. Há mantimentos suficientes para a tripulação até à próxima Primavera.

A próxima nave de carga Progress chegou a Baikonur na segunda-feira passada e está a ser preparada para o lançamento, apesar de ainda não ter sido estabelecida uma data, que dependerá dos resultados obtidos pela comissão.

Os responsáveis russos gostariam de assistir a dois lançamentos do Soyuz-U, sem tripulação, antes da próxima missão tripulada. Por isso, as datas das futuras missões ainda estão a ser avaliadas, incluindo a missão do astronauta da ESA André Kuipers.

Mike Fossum a trabalhar no laboratório Destiny

Ficou decidido o adiamento da aterragem da Expedição 26, a bordo do Soyuz TMA-21, de 8 de Setembro para 16. O lançamento do próximo voo, o Soyuz TMA-22, transportando a Expedição 29, será adiado até ao final de Outubro ou início de Novembro, dependendo dos resultados da comissão.

Ao mesmo tempo, os parceiros da Estação estão a preparar-se para diversos cenários de operações nos tempos mais próximos.

Este foi o primeiro acidente para esta admirável nave desde a primeira Progress em 1978. Até agora, a agência espacial russa lançou 745 veículos Soyuz-U, com 724 sucessos. As naves de carga Progress foram transportadas em 136 destas missões.

Lançamento do Progress 44

O Soyuz-U é usado não só para levar o Progress para o espaço, mas também para lançar satélites e sondas planetárias.

A ESA está a preparar o lançamento do seu próximo Veículo de Transferência Automatizado, Edoardo Amaldi, em Março de 2012. Juntamente com os seus parceiros no programa da Estação, a Agência está a seguir de perto a investigação ao acidente com a nave Progress.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.