Prolongada a missão PromISSe na Estação Espacial

A nave Soyuz ancorada à Estação Espacial
29 Fevereiro 2012

O astronauta da ESA, André Kuipers, vai prolongar a sua estadia na Estação Espacial Internacional, um mês a mais relativamente ao que estava originalmente planeado. Além de sua rotina diária normal, André Kuipers vai utilizar algum do tempo extra no espaço para realizar experiências científicas.

Os parceiros da Estação acordaram o prolongamento desta expedição na sequência de um atraso no próximo lançamento da Soyuz.

Os testes de rotina revelaram problemas na nave Soyuz, implicando a sua substituição. A nova data para André e os seus colegas de tripulação voltarem a Terra é 1 de Julho. Quando regressar, o astronauta da ESA terá ficado mais de seis meses na Estação Espacial.

O tempo a mais que André passará no espaço não significa que o astronauta tenha tempo livre extra, pois as atividades de ciência e as rotinas de manutenção da Estação têm de continuar independentemente do astronauta que está disponível.

Devido ao atraso, a Estação Espacial irá operar com apenas três tripulantes por um período mais longo do que o inicialmente previsto.

Experiências científicas

Comida espacial

André já terminou algumas das suas experiências. Ele foi o décimo astronauta a adotar a dieta especial SOLO, desenvolvida para ajudar a perceber por que os astronautas perdem densidade óssea no espaço.

Durante cinco dias, André ingeriu apenas um terço do sal incluído em dietas normais. Os resultados podem dar pistas para perceber como os ossos envelhecem na Terra e poderão ser usados no combate a doenças como a osteoporose.

André terminou também a experiência DSC no Microgravity Science Glovebox europeu, na qual observou as mudanças de temperatura em misturas de diferentes fluidos.

Os resultados desta experiência contribuirão para o aperfeiçoamento de modelos computacionais usados na perfuração de petróleo.

André grava as suas ondas cerebrais

Recentemente, André partilhou uma fotografia na qual tinha o que parecia ser uma touca de banho. Usada na experiência Neurospat, na verdade esta touca é uma complexa rede de elétrodos para medir ondas cerebrais.

Na cabeça de André foram cuidadosamente colocados 64 elétrodos em pontos específicos, pelo seu colega Don Petit. O objetivo é perceber se o cérebro processa algumas tarefas de forma diferente no espaço.

Finalizada está igualmente a experiência de biologia Roald2 em células imunitárias humanas. O sistema imunitário dos astronautas é menos eficaz no espaço e os cientistas estão a tentar descobrir porquê.

Células do sistema imunitário recolhidas de voluntários na Terra foram quimicamente congeladas na Estação Espacial em intervalos específicos. Por análise destas células após o regresso a Terra, os cientistas esperam obter pistas sobre o funcionamento do sistema imunitário humano.

Há ainda muitas experiências por terminar. Mas os trabalhos de manutenção não esperam por ninguém e por isso André e os seus colegas de tripulação estarão ocupados na manutenção em perfeitas condições da Estação Espacial.

Na possibilidade altamente improvável de que André tenha tempo livre, os cientistas na Terra prepararam um conjunto de atividades “de bolso” que poderão ser realizadas a curto prazo se a oportunidade surgir.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.