Pronto para jantar em Marte?

Gnocchis de spirulina
14 Junho 2005

'Pão marciano e doce de tomate verde', 'Gnocchis de spirulina' e 'Mil-folhas de batata e tomate' são três deliciosas receitas que duas empresas francesas criaram para a ESA e para os futuros exploradores de Marte e de outros planetas.

O desafio dos chefes era oferecer aos astronautas uma comida com um sabor agradável, feita apenas com alguns ingredientes passíveis de serem cultivados em Marte. O resultado foi 11 saborosas receitas que poderão ser usadas em futuras missões espaciais de longa duração da ESA. ADF – Alain Ducasse Formation e GEM são as duas empresas francesas que produziram as receitas. A sua experiência mútua ao nível da criação de novos produtos e de ‘haute cuisine’ conduziu a excelentes resultados.

Os chefes a criarem comida espacial

Os menus foram todos baseados em nove ingredientes principais que a ESA crê poderem vir a ser cultivados em estufas de futuras colónias em Marte ou noutros planetas. Os nove ingredientes devem constituir pelo menos 40% da receita final, podendo os restantes (até) 60% ser legumes, ervas, azeite, manteiga, sal, pimenta, açúcar e outros temperos levados da Terra.

"Inicialmente, o nosso objectivo é produzir localmente 40% dos alimentos dos astronautas em futuras missões espaciais de longa duração, por exemplo em Marte", afirma Christophe Lasseur, coordenador de sobrevivência biológica da ESA, responsável pela reciclagem e produção de ar, água e alimentos para missões espaciais de longo prazo.

Mil-folhas de batata e tomate

"Porquê 40%? Ao cultivar plantas suficientes para cobrir cerca de 40% daquilo que comemos, estamos também a obter 'gratuitamente' o oxigénio e a água de que necessitamos para viver", explica Lasseur.

Os nove ingredientes básicos que Lasseur planeia cultivar noutros planetas são: arroz, cebola, tomate, soja, batata, alface, espinafres, trigo e spirulina – todos eles ingredientes comuns, à excepção do último. A spirulina é uma alga azul-verde, uma fonte de nutrição extremamente rica em proteínas (65% em peso), cálcio, hidratos de carbono, lípidos e várias vitaminas que cobrem as necessidades básicas nutricionais e energéticas em ambientes extremos.

Actualmente, todos os alimentos consumidos pelos astronautas que se encontram no espaço são levados da Terra, mas isso não será possível em missões mais prolongadas. Embora a ideia ainda só esteja no papel, a ESA já iniciou a investigação para ver o que é que poderia ser cultivado noutros planetas - e como é que seria um ecossistema auto-suficiente em Marte.

"Além de saudável e suficientemente nutritiva para assegurar a sobrevivência, uma boa comida poderia constituir um potencial apoio psicológico para a tripulação, afastada da Terra durante anos", realça Lasseur.

Pão marciano e doce de tomate verde

O chefe Armand Arnal da ADF acrescenta: "O principal desafio foi criar um vasto leque de receitas diferentes e com um sabor agradável, apenas com nove produtos básicos. Além disso, tivemos restrições absolutas ao nível da utilização de sal. Foi-nos, no entanto, permitido adicionar um pouco de açúcar e de gorduras, ingredientes normalmente essenciais para confeccionar um prato e enaltecer o seu sabor".

"Após um trabalho intensivo nas receitas, criámos finalmente pratos saudáveis, saborosos e frescos, que são a realização de um grande desafio".

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.