Rosetta correctamente alinhada antes de manobra crítica para receber assistência gravítica de Marte

Rosetta's Mars swingby
Animação com a aproximação da Rosetta e o desvio gravítico em Marte
15 Fevereiro 2007

Os controladores da missão da ESA confirmaram que a Rosetta está preparada para a manobra de assistência gravítica de Marte, que terá lugar no dia 25 de Fevereiro. Os engenheiros começaram as preparações finais para a delicada operação, que inclui um eclipse, um bloqueio de sinal, uma navegação precisa e um controlo de terra complexo.

Está previsto que a Rosetta faça a sua maior aproximação a Marte às 02:57 CET no domingo, dia 25 de Fevereiro, utilizando o Planeta Vermelho como um travão gravitacional para reduzir a velocidade e alterar a trajectória como parte da complexa viagem de 10 anos e 7,1 mil milhões quilómetros da sonda para o cometa 67P Churyumov-Gerasimenko.

“A ignição do motor na passada sexta-feira correu bem. Na terça-feira, confirmámos que a sonda está no percurso nominal para o desvio gravítico. Não existe actualmente nenhuma necessidade de ignições adicionais do motor, por isso, a próxima manobra, planeada para o fim-de-semana, foi cancelada" disse Paolo Ferri, Director de Voo da Missão Rosetta, no ESOC, o Centro de Operações Espaciais da ESA em Darmstadt, na Alemanha.

Eclipse, ocultação à medida que a Rosetta passa por trás de Marte

Concepção artística da Rosetta em Marte

Ainda hoje, a Equipa de Controlo de Voo tem previsto o início do carregamento das baterias da Rosetta para o eclipse planeado de 25 minutos que terá lugar durante assistência gravítica de Marte. Os painéis solares da Rosetta ficarão privados da luz do sol por causa de Marte e todos os sistemas não essenciais serão desligados ou colocados no modo de poupança de energia durante o eclipse.

A trajectória original planeada para a Rosetta e o seu projecto de engenharia não incluíram um eclipse, mas os inevitáveis atrasos do lançamento fizeram com que fosse necessário voltar a planear a trajectória. Os controladores da missão que trabalham na missão Rosetta passaram meses a planear e a testar cuidadosamente uma configuração de baixo consumo que permitirá à sonda operar de forma segura com as baterias.

Confirmámos que a sonda está no curso nominal para o desvio gravítico.

Os controladores de terra prevêem perder o contacto com a Rosetta durante uma ocultação, sob tensão, de 15 minutos que terá início às 03:14 CET do dia 25 de Fevereiro, à medida que a Rosetta passa por trás de Marte em relação às estações de terra na Terra.

Na aproximação mais próxima, a Rosetta fará uma espectacular passagem próxima de Marte, a uns meros 250 km acima do Planeta Vermelho. Neste momento, a sonda Mars Express da ESA encontrar-se-á a cerca de 11042 quilómetros da sonda Rosetta, enquanto a Mars Reconnaissance Orbiter da NASA estará a cerca de 7172 quilómetros.

Cooperação ESA-NASA para controlo do espaço profundo

As actividades intensivas relativas à manobra de assistência gravítica no ESOC incluíram uma extensiva campanha de controlo para planear cuidadosamente a trajectória e a posição da Rosetta.

A telemetria e as medições Doppler da DSA 1, a estação da ESA para o espaço profundo da ESA em New Norcia, Austrália, receberam dados da estação do espaço profundo DSN da NASA. Ambas as redes estão a utilizar a tecnologia Delta DOR (Delta Differential One-Way Ranging) para localizar e controlar a sonda com precisão.

A tecnologia Delta DOR utiliza duas antenas de terra separadas por uma longa distância para monitorar simultaneamente uma sonda e medir a diferença de tempo entre os sinais que chegam às duas estações. A ESA utilizou pela primeira vez esta técnica sofisticada para controlar a Venus Express em 2006.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.