Rosetta desperta para se encontrar com asteróide

Aproximação da Rosetta ao asteróide
10 Julho 2008

Os controladores da nave Rosetta acabaram de despertá-la da sua hibernação, preparando o encontro com o asteróide 2867-Steins no próximo dia 5 de Setembro. Rosetta, a nave perseguidora de cometas da ESA, estudará este asteróide relativamente invulgar durante o seu vôo a caminho do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko, o seu destino final.

Lançada em Março de 2004, a Rosetta chegará ao seu destino apenas em 2014 depois de ter percorrido à volta de 6 500 milhões de quilómetros. A distância entre a nave e o Sol quando se aproximar do cometa será de 600 milhões de Km ou quatro Unidades Astronómicas (UA) - uma UA equivale a 150 milhões de Km, a distância média entre a Terra e o Sol.

A nave Rosetta passou pela órbita da Terra duas vezes e uma pela de Marte, em manobras gravitacionais que lhe permitiram ganhar o impulso necessário para seguir viagem. A terceira e última aproximação à Terra está prevista para Novembro de 2009. Pelo caminho, visitará e estudará dois asteroides: o 2867-Steins, em Setembro deste ano, e o 21-Lutetia, em Junho de 2010. Ao aproximar-se do 2867-Steins, Rosetta terá percorrido 3 700 milhões de quilómetros e estará a 2,1 UA do Sol.

Após a sua última manobra para ganhar impulso através da gravidade planetária, a 13 de Novembro do ano passado, a nave partiu em direcção à cintura de asteróides que se encontra estre as órbitas de Marte e Júpiter. A 27 de Março de 2008, a nave entrou em modo de hibernação próximo do Sol, o que se prolongou por três meses. Nesta fase, alguns subsistemas passaram a um estado adormecido de forma a optimizar a sua vida útil (já que este é apenas o princípio da fase científica da missão).

Próxima paragem: Steins

Rosetta second Earth swing-by
Segunda aproximação da Rosetta à Terra, a 13 de Novembro de 2007

A aproximação máxima da Rosetta ao 2867-Steins acontecerá a 5 de Setembro, às 20:37 CEST, a uma distância de 800 Km. A nave passará por este ponto a uma velocidade relativa de 8,6Km/s.

Para preparar a aproximação todos os instrumentos serão verificados e testados durante o mês de Julho. Entre 4 de Agosto e 4 de Setembro, os operadores da nave irão montar uma campanha de navegação óptica: será feito um seguimento visual do asteróide através das câmaras a bordo, o que servirá para melhorar o conhecimento da sua órbita, estimada a partir de medições feitas em terra.

Os asteróides são amostras do material de que é composto o Sistema Solar, em diferentes fases de evolução, e estudá-los ajuda os cientistas a perceber origem e evolução da Terra bem como dos planetas vizinhos.

Este asteróide é relativamente raro, recebendo a classificação tipo E – composto essencialmente por sílicas e basaltos -, no entanto, as suas propriedades não são bem conhecidas. Daí ter sido seleccionado como objecto de estudo da Rosetta. Os dados recolhidos permitirão caracterizar melhor os asteróides do tipo E em termos de composição e evolução e ajudar a interpretar dados colhidos em terra.

Tirar o máximo partido da aproximação

Rosetta
Rosetta’s deep-space journey

As observações servirão para caracterizar o asteróide e o seu ambiente e para testar os instrumentos da Rosetta, a maioria dos quais estarão activos durante a aproximação.

Os objectivos científicos são os seguintes:

  • Caracterizar o asteróide através dos estudo das suas propriedades físicas equímicas
  • Estudar a cinemática, como por exemplo a rotação
  • Estudar a sua superfície, comparando-a depois com a de outros asteróides
  • Estudar as interacções entre os ventos solares e o asteróide
  • Estudar o ambiente à sua volta, como sejam a presença de satélites naturais, as propriedades magnéticas e eléctricas e gás ou poeira na sua órbita
  • A manobra levará a nave até aos seus limites, principalmente devido à rotação atingida durante a fase de proximidade máxima. A manobra é necessária para assegurar que o asteróide permanece no campo de visão dos instrumentos. A 24 de Março foi efectuada uma manobra de simulação da operaçãoo que confirmou a robustez da nave.

Marcos na vida da Rosetta

Lançamento: 2 de Março de 2004
Primeira aproximação à Terra: 4 de Março 2005
Primeira aproximação a Marte: 25 de Fevereiro 2007
Segunda aproximação à Terra: 13 Novembro 2007
Terceira aproximação à Terra: 13 Novembro 2009
Encontro com o cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko: Maio 2014
Aterragem no cometa: Novembro 2014
Acompanhamento ao cometa:té ao final de 2015

Para mais informações:

Gerhard Schwehm, ESA Rosetta Mission Manager
Email: Gerhard.Schwehm @ esa.int

Rita Schulz, ESA Rosetta Project Scientist
Email: Rita.Schulz @ esa.int

Andrea Accomazzo, ESA Rosetta Spacecraft Operations Manager
Email: Andrea.Accomazzo @ esa.int

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.