Satélites gémeos do Galileo prontos a descolar

Abastecendo o Galileo FM3
2 Outubro 2012

Os satélites gémeos da constelação Galileo já estão totalmente abastecidos e juntos sobre o estágio superior do foguete que irá transportá-los durante a maior parte do caminho, até à sua órbita final. O lançamento está previsto para a noite de 12 de Outubro.

Os técnicos vestiram os fatos de proteção para encher os tanques dos dois satélites com o combustível hidrazina, usado para manter os satélites na sua posição orbital durante os 12 anos de vida previstos.

Em vez de transportar uma quantidade significativa de combustível extra para se inserir nas órbitas planeadas - como acontece com um satélite de telecomunicações típico ou com os equivalentes americanos do Galileu, o GPS - os satélites Galileo são transportados para uma órbita média pelo Fregat, o quarto estágio do lançador Soyuz ST-B.

Como não necessitam desse combustível extra nem de propulsores orbitais significa que os satélites Galileo são suficientemente pequenos para serem lançados aos pares, a bordo do Soyuz - ou em grupos de quatro, pela nova variante do Ariane 5, que está a ser desenvolvida.

Galileo satellites
Os primeiros dois satélites Galileo IOV

The Galileo satellites are attached to a special dispenser that holds them securely in position during launch, before pyrotechnic mechanisms release them sideways in opposite directions once their set 23 222 km altitude is reached.

The aluminium plates on each side of the satellites are temporary additions to protect their delicate solar panels; these will be removed later.

Galileo FM3 fitcheck
Primeiro teste do Galileo com o distribuidor

Os satélites Galileo estão ligados a um distribuidor especial que os mantém firmemente na sua posição durante o lançamento, antes que mecanismos pirotécnicos os libertem lateralmente, em direções opostas, quando for atingida a altitude de conjunto de 23 222 km.

As placas de alumínio em cada lado dos satélites são extras temporários, para proteção dos seus delicados painéis solares, e irão ser removidas posteriormente.

Os dois satélites, o distribuidor e o estágio superior Fregat serão agora cuidadosamente verificados antes de o próximo grande marco, a montagem da carenagem de proteção para o lançamento, na quinta-feira.

A revisão da aptidão para o lançamento começará no início da próxima semana. Se estiver tudo bem, a parte superior será transportada do Fregat Integration Building para a plataforma de lançamento, onde será anexada ao lançador Soyuz.

Terminar a fase de validação do Galileo

Galileo IOV
O Galileo IOV em órbita

Com este lançamento os dois novos satélites Galileo de validação em órbita juntam-se aos dois primeiros que estão em órbita desde outubro de 2011.

Este é um marco significativo para o programa europeu Galileo, porque quatro é o número mínimo exigido para correções de navegação, permitindo o teste completo do sistema sempre que estiverem todos visíveis no céu.

A esta fase de validação irá seguir-se a implantação de mais satélites e de componentes do segmento de terra de forma a que se possa alcançar a “capacidade operacional plena". Depois disso, os utilizadores em terra podem explorar os serviços.

Os quatro primeiros satélites Galileo foram construídos por um consórcio liderado pela EADS Astrium, Alemanha, com a Astrium a produzir as plataformas e a Astrium Reino Unido responsável pelas cargas. Os satélites foram montados e testados em Roma pela Thales Alenia Space.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.