Traçar o mapa da Galáxia e vigiar a nossa vizinhança

A nave espacial Gaia num fundo negro
8 Julho 2004

Um dos projectos actuais mais ambiciosos da ESA tem por objectivo a compilação do mais preciso dos mapas de um bilião de estrelas da nossa Galáxia.

O lançamento da nave espacial Gaia, que transportará duas das mais sensíveis câmaras jamais fabricadas, está previsto para 2010.

Levará cinco anos para detectar esta quantidade tão vasta de objectos, alguns dos quais são muitíssimo ténues, e mais três anos para os agrupar num modelo computadorizado tridimensional que mostre não apenas as suas posições actuais, mas também a direcção dos seus movimentos, a cor e até a sua composição.

Resumindo, a missão Gaia dar-nos-á uma visão completamente nova da Galáxia e de tudo o que a compõe. Produzirá o mapa final, um catálogo de estrelas que poderá ser utilizado por todas as outras missões espaciais do futuro.

Outro aspecto emocionante desta espantosa missão é o de poder descobrir objectos cuja existência se desconhecia - até a Gaia apontar as sua câmaras super-sensíveis na sua direcção. Para além das estrelas, poderemos encontrar outros objectos muito ténues, ou situados em áreas do céu ainda não observadas em profundidade.

Gaia will probe the asteroid blind spot
A Gaia irá sondar o buraco negro dos asteróides

Uma área do céu muito interessante que será observada pela Gaia é o ‘buraco negro’ descoberto entre o Sol e a órbita da Terra.

Da Terra, só é possível observar esta área durante o dia (e mesmo assim, só em dias claros e sem nuvens), mas é muito difícil detectar pequenos objectos como os asteróides, uma vez que o brilho intenso do Sol os torna praticamente invisíveis.

Por vezes, estes asteróides aproximam-se da Terra o suficiente para causar preocupação, mas não é possível descobrir o que se passa com eles até que se afastem suficientemente do Sol para que possam ser observados por um telescópio. Um grande grupo de asteróides em particular, conhecidos por Atens, está constantemente a deslocar-se entre o Sol e a órbita da Terra.

Conhecemos muito pouco sobre estas famílias de asteróides que seguem a mesma órbita. Eles atravessam regularmente a órbita da Terra, o que os torna numa potencial ameaça, embora a maioria deles não representem um verdadeiro perigo para o nosso planeta. No entanto, precisamos de compreender porque é que estão ali, de onde vieram e qual a sua composição.

Com a ajuda da sua visão de longo alcance a partir do espaço e da sua incomparável precisão, a Gaia é a candidata ideal para seguir o rasto dos Atens e das famílias de asteróides semelhantes que se aproximam da nossa casa.

Contudo, os asteróides e os objectos do Sistema Solar representam apenas uma pequena fracção dos objectos que a Gaia irá estudar. A sua detecção é um produto derivado do objectivo principal da Gaia, que é o de analisar com precisão a localização, o movimento e a composição de vários milhões de estrelas da nossa Galáxia.

A partir destas informações, obteremos uma maior compreensão do ciclo de vida da nossa Galáxia e do seu futuro.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.