Descolagem do voo VS01 do Soyuz

Um lançador Soyuz, dois satélites Galileo, três sucessos para a Europa

22 Outubro 2011

O primeiro par de satélites do sistema de navegação global europeu, Galileo, foi posto em órbita pelo primeiro veículo russo Soyuz a descolar do Porto Espacial Europeu na Guiana Francesa. Uma missão pioneira.

O voo VS01 do Soyuz, operado pela Arianespace, iniciou a descolagem do novo complexo de lançamentos na Guiana Francesa às 10:30 GMT (12:30 CEST) de 21 de Outubro.

Todas as etapas do Soyuz funcionaram na perfeição e a parte superior, o Fregat-MT, libertou os satélites Galileo na órbita certa, a 23 222 km de altitude, três horas e 49 minutos depois da descolagem.

"Este lançamento tem um enorme significado para a Europa: colocámos em órbita os primeiros dois satélites Galileo, um sistema que posicionará o nosso continente na primeira liga do domínio estratégico da navegação por satélite, uma área com enormes perspectivas económicas," disse Jean-Jacques Dordain, Director Geral da ESA.

IOV satellites are ejected from Fregat upper stage
Satélites da fase IOV lançados a partir do Fregat

Além disso, este histórico lançamento de um sistema genuinamente Europeu como o Galileo foi feito pelo lendário lançador russo que foi usado para colocar o primeiro satélite no espaço, o Sputnik, e o primeiro homem em órbita, Yuri Gagarin. Um lançador que a partir de agora irá descolar do Porto Espacial Europeu.

"Estes dois eventos históricos são um símbolo de cooperação: entre a ESA e a Rússia, com uma contribuição essencial da França; e entre a ESA e a União Europeia, numa iniciativa conjunta com a União Europeia".

"Este lançamento consolida o papel de liderança da Europa na cooperação espacial a nível global.

"Tudo isto só foi possível graças à visão e ao empenho dos Estados Membros da ESA."

Esta foi a primeira vez que o Soyuz foi lançado noutro local que não Baikonur, no Cazaquistão, ou Plesetsk, na Rússia.

O novo local de lançamento para o Soyuz, na Guiana Francesa, operado pela Arianespace, vem juntar-se à flexibilidade e competitividade da frota europeia de lançadores.

O Soyuz é um veículo de médio porte, complementando a frota de lançadores da ESA: o Ariane 5 para os equipamentos pesados, e o novo Vega, cuja estreia está prevista para 2012, irá transportar satélites mais pequenos.

Galileo
Galileo para o satnav2

O lançamento próximo do equador permite que o Soyuz tenha uma performance ainda melhor. A partir da Guiana Francesa, o Soyuz pode transportar até cerca de 3 toneladas, para uma órbita de transferência geostacionária, exigida tipicamente pelos satélites de telecomunicações comerciais. A partir de Baikonur só podem ser transportadas 1,7 toneladas.

Os dois satélites transportados pelo Soyuz fazem parte da fase In-Orbit Validation (IOV) que tem como função testar extensivamente todas as operações do sistema Galileo no espaço e em terra.

Os dois satélites estão agora a cargo de uma equipa da ESA e da Agência Espacial Francesa, CNES, em Toulouse, França. Depois destas operações iniciais, serão entregues à SpaceOpal, uma empresa formada pela DLR, Aeroespacial Alemão, e pela italiana Telespazio, para 90 dias de testes, antes de serem concessionados para a fase de IOV. Os dois próximos satélites Galileo, que vêm completar o quarteto da IOV, deverão ser lançados no Verão de 2012.

For further information, please contact

ESA Media Relations Office
Communication Department
Tel: + 33 1 53 69 72 99
Fax: + 33 1 53 69 76 90
Email: media@esa.int

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.