Uma estufa no espaço

10 Novembro 2010

É pequena, mas é uma estufa para viajantes no espaço – e para si também. O astronauta Paolo Nespoli irá levar consigo até à Estação Espacial Internacional uma estufa especial e convida os jovens entusiastas da ciência a colaborarem com ele em experiências científicas.

Cultivar plantas no espaço será crucial para os astronautas do futuro. Numa viagem para Marte, ou mais longe ainda, será necessário produzir comida fresca a bordo e ser parcialmente auto-suficiente. A montagem de estufas na Lua, em Marte ou noutros corpos planetários também será uma componente importante nas missões de exploração futuras.

As estufas também fornecem oxigénio e trazem alguma vida ao desolado espaço. Tratar de plantas é uma boa forma de manter recordações da Terra e uma forma agradável de passar o tempo durante a longa e possivelmente aborrecida viagem interplanetária.

Plantas a bordo da ISS

Nespoli during STS-120
Paolo Nespoli num voo anterior

Não há risco de tédio durante a missão MagISStra, de Paolo, já que será preenchida de actividades e ciência. O projecto estufa no espaço, proposto e concebido pelo departamento de Voos Tripulados da ESA, não é apenas uma experiência científica mas também uma oportunidade educacional para os estudantes, entre os 12 e os 14 anos.

Paolo irá usar no espaço uma estufa concebida especialmente para o efeito: cultivar plantas e permitir a observação do ciclo de vida de uma planta. As crianças terão a oportunidade de seguir isto com as suas próprias experiências em terra, usando uma estufa semelhante e as mesmas espécies de plantas.

Closeup of the MagISStra greenhouse
Arabidopsis a crescer

A experiência começa com a rega de uma planta da família das couves, a Arabidopsis thaliana, instalada no Laboratório Columbus, na Estação Espacial Internacional. As crianças começarão a sua própria experiência em terra ao mesmo tempo. Paolo irá tirar algumas imagens do ciclo de crescimento e fazer gravações de vídeo dos passos essenciais na germinação das plantas, publicando-as no website da missão MagISStra. As crianças que participarem poderão comparar a experiência no espaço com a experiência na terra.

Os jovens cientistas no solo e Paolo em órbita irão seguir o ciclo de crescimento das suas plantas, por cerca de dez semanas. As crianças serão encorajadas a partilhar as suas observações com outros jovens a participar na mesma experiência, criando uma rede em toda a Europa que irá ligar os jovens cientistas, de uma forma particular.

Encomende a sua estufa!

Desenho da estufa do MagISStra

As escolas que desejem participar nesta experiência podem encomendar o seu kit de mini-estufa nowebsite educacional dos Voos Tripulados da ESA, tendo em atenção que há um número limitado de equipamentos disponíveis.

As instruções podem ser descarregadas em 13 línguas, a partir do mesmo site, de Voos Tripulados da ESA a partir de Janeiro de 2011.

As crianças podem enviar os seus resultados finais e observações para a equipa educacional de Voos Tripulados da ESA, que vai montar uma lição final online, que pode ser descarregada por outras escolas e professores.

A experiência sera lançada em meados de Fevereiro de 2011 num evento ao vivo que juntará cerca de 750 crianças em quatro locais da Europa: A Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Ciência Viva, em Lisboa, o Centro Europeu de Astronautas, em Colónia, na Alemanha, o ESRIN, em Frascati, Itália, a Cidade do Espaço, em Toulouse, França.

Paolo irá certamente participar no evento a partir da Estação Espacial, que terá a sua própria estufa em miniatura.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.