Uma nova geração de satélites meteorológicos

O Meteosat de Terceira Geração
27 Fevereiro 2012

A nova frota de satélites meteorológicos europeus deverá ser lançada em 2017, tal como ficou acordado na sexta-feira, no acordo de desenvolvimento. Se por um lado o Meteosat de Terceira Geração garante a continuidade do Meteosat atual, irá também introduzir melhorias significativas.

O contrato para o desenvolvimento da família de satélites Meteosat de Terceira Geração (MTG) foi assinado entre a ESA e a Thales Alenia Space na sede da ESA, em Paris.

Seguindo-se ao Meteosat de Segunda Geração, o MTG é uma iniciativa conjunta entre a Eumetsat e a ESA e irá dar continuidade ao fornecimento de dados meteorológicos de alta resolução até 2037.

A cooperação em missões meteorológicas entre a Eumetsat e a ESA é uma história de sucesso que teve início com o primeiro satélite Meteosat, em 1977, e continua hoje com o Meteosal de Segunda Geração e a série de satélites em órbita polar, MetOp.

A nova série vai incluir seis satélites: quatro MTG-I de imagens e dois MTG-S de som.

Os primeiros dois protótipos têm lançamento marcado para final de 2017 e meados de 2019. Os dois satélites ficarão numa órbita geoestacionária, acima do equador, numa longitude entre os 10º E e os 10º W.

Além das capacidades de captação de imagem possibilitadas pela Flexible Combined Imager, os satélites irão oferecer novas capacidades sonoras e de captação de imagens que irão disponibilizar avisos precoces em tempestades severas.

Com o MTG-S irá também o Sentinel-4 do programa Global Monitoring for Environment and Security (GMES), que irá analisar a química da atmosfera e identificar as concentrações de gases como o ozono e o dióxido de azoto.

MTG-I

A missão MTG também irá dar apoio às operações de busca e salvamento, tal como ao Sistema de Advanced Data Collection.

No evento de sexta-feira, o Diretor Geral da ESA, Jean Jacques Dordain, realçou que a Europa agora – e no futuro – oferece monitorização meteorológica de ponta graças a uma colaboração de 25 anos entre a ESA e a Eumetsat.

Dordain recordou o lançamento do Meteosat-1, há 35 anos, e realçou o esforço da ESA, da Eumetsat e de todos os parceiros industriais para continuar o legado do Meteosat.

O Diretor dos programas Earth Observation, Volker Liebig, realçou as significativas melhorias na performance dos novos satélites.

Em tempos de dificuldade económica, notou Liebig, o programa oferece muitas oportunidades para a indústria europeia, permitindo-lhes conseguir contratos de alto nível tecnológico. O MTG tem um valor para os contratos industriais no valor de mais de €1.25 mil milhões. Nos discursos, falaram também o Diretor Geral da Eumetsat, Alain Ratier e o CEO da Thales Alenia Space, Reynald Seznec.

O contrato entre a ESA e a Thales Alenia Space foi assinado por Liebig e Seznec.

A Thales Alenia Space lidera o consórcio industrial que está a construir a família MTG. Além de ser o contratante principal, a Thales Alenia Space é responsável pelo satélite de imagem MTG-I, incluindo a carga principal, o Flexible Combined Imager.

A empresa OHB, com sede em Bremen, é responsável pelos satélites MTG-S e pelas plataformas comuns, com o apoio da Astrium GmbH e da System Architect.

O equipamento de ponta, Infrared Sounding Instrument, que vai a bordo do MTG-S, será desenvolvido pela Kayser Threde.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.