Voluntárias preparam-se para um segundo « bedrest »

Marjo Järvinen
16 Junho 2005

Em Toulouse, doze mulheres passaram 60 dias em camas de repouso voluntariamente, para simular os efeitos fisiológicos da imponderabilidade no organismo. Hoje a equipa de investigação está activamente à procura de doze novas candidatas para prolongar a experiência e aprofundar os resultados.

No início de Junho, as doze voluntárias da primeira sessão do estudo WISE (Women International Simulation Experiment) foram sendo progressivamente « libertadas » à medida que regressavam à posição vertical na clínica espacial do MEDES (Instituto de Medicina e Fisiologia Espacial), em Toulouse.

Durante dois meses, estas doze mulheres permaneceram deitadas com uma inclinação de 6°, com os pés ligeiramente elevados relativamente à cabeça, a fim de induzir no seu organismo os mesmos fenómenos causados por longos períodos em ausência de gravidade. As voluntárias foram subdivididas em três grupos de quatro, a fim de estudar os efeitos de medidas particulares destinadas a combater as perdas de massa muscular, aquosa e óssea, bem como as diminuições de certas funções (cardíacas, movimentos, etc...). Enquanto que um grupo, o grupo de controlo, não efectuou nenhuma actividade em particular, um grupo de « exercício » foi submetido a sessões de exercício regulares e um outro grupo viu as suas refeições quotidianas acompanhadas de uma ração de complemento alimentar (determinados aminoácidos que são os constituintes básicos das proteínas).

Mais voluntárias necessárias para a segunda fase

Para a segunda fase, que deverá começar em Setembro, a ESA, o CNES e o MEDES procuram 12 novas voluntárias em toda a União Europeia.

« O aspecto internacional desta selecção é igualmente importante para os factores psicológicos », observa Peter Jost. « As tripulações das futuras missões de longa duração serão mistas e internacionais. Ora, nós sabemos que o equilíbrio psicológico desempenha um papel de primeiro plano no equilíbrio fisiológico ».

Estas mulheres deverão ter entre 25 e 40 anos, gozar de boa saúde, ser não fumadoras e beneficiar de uma cobertura social. Por motivos de ordem prática, também deverão falar fluentemente francês ou inglês. No decurso da experiência, serão feitas diariamente, análises e ecografias de controlo às voluntárias para prevenir todo e qualquer risco de trombose.

Para mais informações, contactar:

Peter Jost
Coordenador do WISE
ESA/ESTEC
Tel.: +31 71 565 66 12

Didier Schmitt
Director dos programas de Ciências da Vida da ESA
ESA/ESTEC
Tel.:+ 31 71 565 48 88

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.