CryoSat preparado para o lançamento

O Cryosat no interior do lançador Dnepr
6 Abril 2010

Cumprindo os preparativos para o lançamento, no próximo dia 8 de Abril, o satélite da ESA, CryoSat-2, foi instalado hoje no foguete Dnepr, no interior do silo de lançamento, no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

O ‘módulo da cabeça espacial’ foi transportado desde as instalações de integração até ao silo subterrâneo, na manhã de 1 de Abril. Apesar de estas instalações estarem separadas por apenas 7 quilómetros, o transporte especial, conhecido como ‘crocodilo’, necesitou de mais de uma hora para completar o trajecto.

O ‘crocodilo’ está equipado com um contentor especial, em posição vertical, que abre como uma mandíbula para permitir a entrada do módulo da cabeça espacial. Durante esta manobra, completada na passada semana, os membros da equipa da ESA e da indústria puderam avistar o satélite pela última vez, já que o acesso ao silo de lançamento está restringido ao pessoal do cosmódromo.

On the way to the silo
A caminho do silo de lançamento

Feitos os testes eléctricos, para comprovar que tudo continua a funcionar após a manobra, o último grande passo, antes do lançamento, será o ensaio geral, programado para hoje, Terça-feira. Esta simulação permitirá garantir que as sequências e os protocolos de comunicação entre a base de lançamento e o Centro Europeu de Operações Espaciais da ESA, na Alemanha, funcionam correctamente, antes do lançamento, na próxima Quinta-feira.

O lançamento do CryoSat-2 será um momento importante para a ESA, tornando-se na terceira missão do programa Earth Explorers (Exploradores da Terra) a alcançar a órbita terrestre em pouco mais de 12 meses. O CryoSat-2 seguirá os passos do Explorador do Campo Gravítico e da Circulação Oceânica (GOCE), lançado em Março de 2009, e da missão para o estudo da Humidade do Solo e da Salinidade dos Oceânos (SMOS), lançada em órbita no passado mês de Novembro.

Tal como todas as missões do programa Earth Explorers da ESA, o CryoSat foi desenhado para encontrar respostas às grandes perguntas da comunidade científica internacional – neste caso, estudar de que forma se estão a alterar as grandes massas de gelo do nosso planeta.

Durante alguns anos, satélites como o Envisat monitorizaram a extensão das massas de gelo que cobrem as regiões polares da Terra. No entanto, para poder compreender o efeito das alterações climáticas nestas regiões tão sensíveis, é necessário poder determinar também a variação na espessura do gelo.

ESA's ice mission
A missão da ESA para o estudo do gelo

Como resposta a esta necessidade urgente, o Cryosat tornou-se na primeira missão europeia desenhada exclusivamente para monitorizar o estado do gelo no planeta. As avançadas técnicas de observação permitirão realizar medições precisas de qualquer variação na espessura do gelo que flutua nos oceânos e das grandes capas de gelo que cobrem a Antártida e a Gronelândia. Estes dados, esperados pela a comunidade científica, permitirão compreender melhor a interacção entre o gelo e as alterações climáticas.

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.