A Europa redescobre a Lua com o SMART-1

18 Agosto 2006

ESA PR 30-2006. Agora a Europa também já pode dizer que esteve na Lua. Na manhã de 3 de Setembro deste ano (às 07:41 Hora de Verão da Europa Central, segundo as previsões), a missão SMART-1 da Agência Espacial Europeia terminará a sua aventura de exploração com um pequeno impacto na superfície lunar.

A história começa em Setembro de 2003, quando um lançador Ariane 5 partiu de Kourou, na Guiana Francesa, para lançar a sonda lunar SMART-1 da ESA na órbita da Terra. O SMART-1 é um pequeno satélite não tripulado que pesa 366 quilogramas e cabe aproximadamente num cubo com 1 metro de aresta, excluindo os painéis solares de 14 metros (que estavam dobrados durante o lançamento).

Após o lançamento e a injecção numa órbita elíptica à volta da Terra, o suave mas firme impulso fornecido pelo motor de propulsão eléctrica altamente inovador que expele violentamente iões de gás xénon conduziu a sonda SMART-1 numa espiral em torno da Terra, aumentando a distância relativamente ao nosso planeta até que, após uma longa viagem de 14 meses, foi “capturado” pela gravidade da Lua.

Para cobrir a distância de 385.000 km que separa a Terra da Lua (se viajássemos em linha recta), este motor extraordinariamente eficiente conduziu a sonda na sua longa viagem em espiral de 100 milhões de km com apenas 60 litros de combustível! A sonda foi capturada pela Lua em Março de 2005 e iniciou a sua missão científica numa órbita elíptica à volta dos pólos. A sonda SMART-1 da ESA é actualmente a única sonda na órbita da Lua, preparando o caminho para a frota de veículos orbitais lunares internacionais que serão lançados a partir de 2007.

A história está prestes a chegar ao fim. Na noite de sábado para domingo (2 - 3 de Setembro), se observar a Lua com um bom telescópio, poderá verificar algo de especial. Tal como a maioria dos seus antecessores lunares, a SMART-1 terminará a sua viagem e a exploração da Lua aterrando de uma forma relativamente abrupta. Entrará em contacto com a superfície lunar numa zona chamada “Lago da Excelência”, situada na região central do sul do disco visível da Lua às 07:41 CEST (05:41 UTC), ou cinco horas antes, se encontrar um pico desconhecido pelo caminho.

A história está prestes a terminar

Após 16 meses de recolha de resultados científicos numa órbita elíptica à volta dos pólos da Lua (a distâncias entre 300 e 30.000 km), a missão está quase a chegar ao fim. A “perilune” da sonda desceu agora para uma altitude de 300 km da superfície lunar e obterá uma visão mais de próxima de alvos específicos da Lua, antes de aterrar de forma controlada na superfície da Lua (controlada, isto é, em termos de onde e quando). Irá depois “morrer” aí.

“Com uma velocidade relativamente baixa durante o impacto (2 km/seg ou 7200 km/h), a SMART-1 irá criar uma pequena cratera de 3 a 10 m de diâmetro”, afirma Bernard Foing, cientista do Projecto SMART-1, “uma cratera que não é maior do que aquela criada por um meteorito de 1 kg numa superfície já muito afectada por impactos naturais”.

Os controladores da missão no Centro de Operações da Agência Espacial Europeia (ESOC) em Darmstadt, perto de Frankfurt, Alemanha, irão monitorizar, passo a passo, os momentos finais antes do impacto.

Grandes telescópios terrestres estarão envolvidos antes e durante o impacto para fazer observações do acontecimento, com diversos objectivos:

  • Para o estudo físico do impacto (material ejectado, massa, dinâmica e energia envolvidas).
  • Para analisar a química da superfície recolhendo a radiação específica emitida pelo material ejectado (‘espectros’)
  • Para ajudar na avaliação tecnológica: compreender o que acontece à sonda que sofre o impacto para saber melhor como preparar futuras experiências de impacto (por exemplo, em satélites para intercepção de meteoritos que ameaçam o nosso planeta)

Briefing para os meios de comunicação social no dia 3 de Setembro, conferência de imprensa alargada no dia 4 de Setembro

Os representantes dos meios de comunicação social que queiram assistir ao impacto no ESOC e partilhar o entusiasmo com os especialistas e cientistas disponíveis para entrevistas a partir da madrugada de Domingo, 3 de Setembro, ou que pretendam assistir à conferência de imprensa na Segunda-feira, 4 de Setembro, para revelar os primeiros resultados do impacto, devem preencher o formulário de registo em anexo e enviá-lo por fax para o Gabinete de Comunicação do ESOC até Quinta-feira, 31 de Agosto.

Para mais informações, consulte o comunicado de imprensa completo em Inglês e visite: http://www.esa.int/SPECIALS/SMART-1/index.html

Copyright 2000 - 2014 © European Space Agency. All rights reserved.